Av. Doze de Outubro, 412 - Vila Assunção
  11 2896-1844              Seg a Sex das 8h30 às 18hrs

Consultoria Preventiva – Minimize Riscos

“É melhor prevenir do que remediar”

Nos dias atuais, precisamos minimizar a iminência de riscos de qualquer natureza para não influenciar em nossos negócios.

 

Um estudo do Sebrae mostrou que a mortalidade das empresas brasileiras é muito alta, olhe a tabela abaixo:

 

27% (Vinte e sete por cento) Com até 1 ano
37% (Trinta e sete por cento) Com até 2 anos
46% (Quarenta e seis por cento) Com até 3 anos
50% (Cinquenta por cento) Com até 4 anos
58% (Cinquenta e oito por cento) Com até 5 anos

 

Por certo, diversos fatores evitáveis tem contribuído para essa alta taxa de mortalidade, como por exemplo: falta de orientação ao formatar preços não computando devidamente os impostos; falha nas contratações dos funcionários; falha nos contratos e o pior de todos eles e o que vou abordar nesta edição, é a falta de gestão de pessoas, ou se existe um gestor, a falha na gestão de pessoas.

 

Em uma avaliação para entender o demasiado crescimento dos processos trabalhistas que fiz para meus clientes, constatei que um percentual muito grande das ações trabalhistas, em torno de 70%, versavam sobre assédio moral e o desejo do funcionário de ser ressarcido pelas cobranças e humilhações que sofreu durante o contrato de trabalho.

 

Com a experiência adquirida ao longo dos anos, e até mesmo nas conversas que antecediam as audiências, constatei que maior que o direito de uma verba rescisória não paga, era o desejo do agora ex-funcionário se “vingar” ou ainda de “mostrar que seu ex-patrão não devia ter feito aquilo”.

 

Não tem sido fácil reverter essa situação junto aos Tribunais, sem antes iniciarmos um modelo preventivo de orientação e reeducação dos gestores no tratamento dos seus subordinados, baseado nos julgamentos dessas várias ações.

 

Ao passo que constatamos essa enorme margem de processos que tinham cunho único de “reagir” frente ao tratamento alegado como injusto, passamos a adotar medidas preventivas, como palestras e cursos aos gestores de como tratar seus funcionários, com o devido zelo e respeito, mostrando ao funcionário que ele não era simplesmente um número como achava, e sim um membro da família empresarial que fazia parte tanto do sucesso, como algumas vezes do fracasso.

 

Por incrível que pareça, a atuação jurídica preventiva surtiu efeitos em que as mais calorosas batalhas judiciais não trouxeram, por simplesmente evitar que ex-funcionários ingressassem com ações, e assim reduziu-se o passivo trabalhista. Não é uma tarefa fácil, mas é possível.

 

Com a devida orientação fundamentada na lei, e com amparo e experiência das decisões dos nossos Tribunais, estabelecemos formas de como os gestores precisam agir nas mais diversas situações, e diante de algumas posturas, conseguimos reduzir consideravelmente o números de ações que traziam grandes prejuízos, não só financeiros, mas pelo número de ações trabalhistas, as empresas acabavam ficando de fora das concorrências.

 

Quando a empresa quer crescer com segurança e se livrar dos riscos, é preciso sim estar acompanhada de um departamento jurídico que te apresente essa e outras estratégias, mas lembre-se, estamos falando que prevenir é a melhor solução, portanto, não deixe acontecer o incêndio, que além de ficar mais caro o serviço, o prejuízo poderá ser grande.

 

Benefícios de ter uma consultoria preventiva:

 

– Segurança em todos os contratos

– Redução de riscos de processos e passivos com ações eficazes

– Redução dos custos na contratação de uma consultoria preventiva.

 

Ficou com dúvidas?

Entre em contato com um Advogado Especialista – Serafin Advogados Associados

Conheça um pouco mais sobre nossos serviços:

Setor Tributarista

Assessoria Empresarial

Consultoria Contratual

Direito do Consumidor